Endometriose! O Que Saber?

Por Procto Prime em 13/07/2021
Endometriose! O Que Saber?

É uma doença caracterizada pela presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga.

 

Todos os meses, o endométrio fica mais espesso, para que um óvulo fecundado possa se implantar nele. Quando não há gravidez, no final do ciclo ele descama e é expelido na menstruação. Uma das teorias para explicar o aparecimento de endometriose é que um pouco desse sangue migra no sentido oposto e cai na cavidade abdominal, causando a lesão endometriótica. As causas desse comportamento ainda são desconhecidas, mas sabe-se que há um risco maior de desenvolver endometriose se a mãe ou irmã sofrem com a doença.

 

Geralmente, o problema surge com uma dor abdominal tipo cólica intensa, podendo ser acompanhada por dor ou sangramento ao evacuar, dor ou sangramento ao urinar, infertilidade e/ou dor na relação sexual, que podem se agravar durante o período menstrual.

Os sintomas podem surgir em conjunto ou isoladamente, por isso, muitas vezes, o diagnóstico pode levar mais tempo que o ideal.

É importante destacar que a doença acomete mulheres a partir da primeira menstruação e pode se estender até a última. Geralmente, o diagnóstico acontece quando a paciente tem em torno de 20 a 30 anos.

Devido aos sintomas, a endometriose intestinal pode ser comumente confundida com doenças intestinais como apendicite, doença de Crohn e síndrome do intestino irritável.



Por isso, para o diagnóstico, é fundamental a realização dos seguintes exames:

• Exames ginecológico (toque vaginal) e proctológico (toque retal), para avaliar a presença de possíveis nódulos pélvicos, sugestivos de endometriomas;

• Ultrassom transvaginal com preparo intestinal, para identificar os órgãos pélvicos acometidos;

• Ressonância magnética de pelve e abdome, para identificar lesões endometriais, bem como dimensioná-las e descrever as suas localizações e invasões teciduais com maior precisão;

• Laparoscopia ou videolaparoscopia, para visualizar as lesões correlacionadas pelos exames de imagem e ressecá-las de modo eficaz.

A colonoscopia pode ser solicitada caso haja suspeita de endometriose intestinal profunda e, principalmente, para descartar outras doenças intestinais.

 

Quando uma paciente apresenta endometriose intestinal com indicação de cirurgia, o procedimento visa a remover o tecido endometrial do intestino, para aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida.

Para isso, é fundamental a necessidade da abordagem por equipes multidisciplinares especializadas em endometriose.

Esta cirurgia é, preferencialmente, realizada por acesso minimamente invasivo, através da videolaparoscopia (“laser”). Quando os sintomas são leves, pode-se iniciar o tratamento com orientação nutricional, atividades físicas e medicamentos (hormônios e sintomáticos), que reduzem o crescimento do endometrioma no intestino, mas, na maioria das vezes, esta conduta serve apenas para postergar a cirurgia.

 

Nas duas últimas décadas a prevalência de endometriose, aparentemente, aumentou o que parece refletir maior reconhecimento da doença por médicos e pacientes, assim como a melhora nos métodos diagnósticos. O ginecologista tem papel central no diagnóstico e condução da paciente com endometriose profunda, entretanto, médicos especialistas (coloproctologista, cirurgião do aparelho digestivo, urologista...) das equipes multidisciplinares estão preparados para a investigação diagnóstica.

Embora a endometriose seja encontrada em cerca de 25 a 40% das mulheres inférteis, até o momento não foram estabelecidos quais seriam os mecanismos responsáveis pela infertilidade, exceto quando existe distorção da anatomia pélvica e obstrução tubária, das quais as endomulheres poderiam se beneficiar da abordagem cirúrgica minimamente invasiva para melhora das chances de engravidar naturalmente.

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Aguarde..